• banner-vestibular-2018








Imprimir

Alunos do Anglo vão para 3ª Fase da Olimpíada de Física

Dois alunos do Liceu Van Gogh – Anglo, Guilherme Cavallari Bueno, do segundo ano do Ensino Médio, e Ana Clara de Oliveira Lima, 9° ano do Ensino Fundamental, foram classificados para a 3ª fase da Olimpíada Brasileira de Física. As provas desta etapa, que é a última, serão aplicadas hoje, 11 de outubro, nas cidades de São Paulo, São Carlos, Santo André, Lorena e Presidente Prudente.

A Olimpíada Brasileira de Física é promovida anualmente pela Sociedade Brasileira de Física e tem como objetivos despertar nos alunos dos Ensinos Fundamental e Médio maior interesse pela física. “Também tem o intuito de descobrir novos ‘talentos’ para a área, pois os aluno podem ser convidados para participar da equipe brasileira na Olimpíada Internacional de Física”, explica o professor de Física do Liceu Van Gogh – Anglo, João Matheus Silveira. 

“O evento, realizado nacionalmente, é divido em três fases. A primeira, que foi dia 22 de maio, foi nas próprias escolas e serve de eliminatória para a segunda fase, realizada, dia 9 de agosto, em sedes regionais. No caso de Ituverava, os alunos poderiam ser direcionados para Franca ou Ribeirão Preto”, ressalta.

Alunos

Guilherme Cavallari Bueno, 16 anos, é filho do empresário Mauro Bernardes Bueno e Joana Maria Cavallari Bueno.

Ana Clara de Oliveira Lima, 15 anos, é filha do advogado Francisco Cândido de Lima Júnior e Márcia de Lima Oliveira Lima.

Segunda fase

Na segunda fase os alunos que apresentaram notas iguais ou superiores que a mínima proposta pela organização, foram classificados para a terceira fase, disputada em sedes estaduais. “Meu papel como físico e professor responsável por coordenar o evento no Liceu Van Gogh – Anglo é divulgar e incentivar os alunos a participarem anualmente da Olimpíada Brasileira de Física”, diz Silveira. 

“Desse modo, o intuito é despertar nos alunos maior interesse pela física, fazendo com que em um futuro não muito distante eles possam de alguma forma, contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico do país”, completa o professor.