• banner-vestibular-2018








Fique Sabendo

Imprimir

Novo complexo elevou valor do patrimônio da FE em 16%

banner-contas1Um dos investimentos mais importantes da Fundação Educacional de Ituverava em 2015, foi o Complexo Educacional “Professor César Luiz Mendonça”, composto por dezessete salas de aula que estão sendo utilizadas pelos alunos da Faculdade de

Filosofia, Ciências e Letras (FFCL), Colégio NSC e Colégio Van Gogh.

A obra, segundo o balanço da FE, foi a principal responsável por ter aumentado em 16% o valor do patrimônio da instituição, que passou de R$ 28.614.482,00, em 2014, para R$ 33.218.890,00, no ano passado.

O arquiteto da obra, que tem uma área construída de 2,6 mil metros quadrados, foi Marcelo Martins Barrachi e engenheiro civil José Carlos da Costa Miranda Filho. Trabalharam na construção 24 funcionários; foram usados mais de 1,7 milhão de litros de concreto, o que seria suficiente para construir quase 70% de uma piscina olímpica; possui paredes com divisórias, o que permite que as salas sejam ampliadas com facilidade; foram 20 mil metros de fios elétricos; 2,6 mil m² de piso porcelanato, o que equivale a três quadras poliesportivas; 550 m² de vidro temperado; 3 mil m² de pintura amaciada; nove banheiros; rampa de acesso de 120 metros; foram instaladas 345 luminárias e 1,2 mil lâmpadas de led, que são mais econômicas.

Entre obras, aquisição de equipamentos e mão-de-obra, o investimento feito pela FE foi de R$ 7 milhões.

Número de alunos
Outro aumento significativo foi no número de alunos da FE. “Mesmo estado sujeita aos efeitos da crise econômica que afeta instituições de ensino, a Fundação Educacional de Ituverava conseguiu aumentar o número de alunos, que hoje é de 3.803”, destaca o gestor contábil da instituição, José Roberto de Oliveira.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Balanço da FE de 2015 foi aprovado sem ressalvas

banner-contas3Além de ser uma referência regional de ensino, a Fundação Educacional de Ituverava é, sem dúvidas, umas das principais empresas do município. São diversos empregos gerados, além do impacto econômico causado em áreas como moradia, comércio e prestação de serviços.

Outro aspecto bastante positivo é que a Fundação Educacional de Ituverava é, e sempre foi, dirigida por pessoas de caráter inquestionável, que sempre colocam os interesses da sociedade à frente dos seus pessoais. E os resultados não poderiam ser melhores: hoje a FE mantém instituições que vão da Educação Infantil à pós-graduação, com muita qualidade em todas as etapas, e é reconhecida como uma das mais importantes instituições educacionais da região.

Hoje são quase 4 mil alunos, divididos no Colégio NSC, Colégio Van Gogh, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) - que oferece os cursos de Administração, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, História, Letras, Matemática e Pedagogia - e Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) - com os cursos de Agronomia, Direito, Enfermagem, Medicina Veterinária e Sistemas de Informação.

A diretoria da FE, encabeçada pelo empresário César Luiz Mendonça, além de investir freqüentemente em melhorias na infra-estrutura, também é um exemplo de transparência em seus atos, uma prova é a aprovação pela PricewaterhouseCoopers (PwC), que é uma das empresas mais conceituadas internacionalmente, do balanço superavitário, e relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras da Fundação Educacional de Ituverava, do exercício de 2015.

Equipe
O balanço foi elaborado pela equipe contábil da Fundação Educacional de Ituverava, liderada pelo gestor contábil José Roberto de Oliveira, que mais uma vez mostrou sua capacidade e agilidade ao desempenhar suas atividades.

Oliveira fala sobre alguns pontos do balanço. “A PricewaterhouseCoopers (PwC) desenvolveu o trabalho durante nove meses, coletando informações, sugerindo adequações e fazendo algumas exigências. É uma empresa extremamente séria e atenta a detalhes, e a aprovação significa que tudo está perfeitamente como deveria estar”, afirma Oliveira.

Selo Cebas
A aprovação do balanço é importante, porque garante à instituição o selo Cebas (Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social), que isenta a FE de recolher impostos de aproximadamente R$ 5 milhões anuais. Este dinheiro é destinado à concessão de bolsas para alunos comprovadamente carentes.

“Mais uma vez, a instituição tem o seu balanço aprovado sem ressalvas pela Price, assegurando nesse exercício o resultado superavitário superior ao ano de 2014. Isso demonstra transparência na prestação de contas e adequação aos padrões internacionais de contabilidade. Todo esse trabalho reproduz a realidade e a idoneidade da Fundação Educacional”, afirma.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Colégio Van Gogh desenvolve ações contra o Aedes Aegypti

banner-aedes-aegipty-2016

O Colégio Van Gogh, mantido pela Fundação Educacional de Ituverava, iniciou, recentemente, o projeto “Xô Dengue”, que envolve alunos de Ensino Fundamental I, das turmas do 2º ano B e 2º ano C, das professoras Renata Lima e Claudia Nunes, com o intuito de conscientizá-las a respeito da dengue , do zika e da chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A primeira ação do projeto foi uma passeata, realizada pelo quarteirão da escola.

Além de ter a conscientização dos alunos a ação busca alertar a vizinhança para algo que tem preocupado autoridades e população.

Já as crianças do Ensino Infantil vivenciaram a experiência de visitar um ambiente propício para procriação do mosquito da dengue, montado na parte externa do colégio. “Os ‘caça mosquitos’ saíram pelo ambiente com as professoras em busca de água parada, jogaram a água fora e recolheram alguns dos objetos encontrados que posteriormente foram transformados em instrumentos musi- cais para compor a ‘bandinha’, que faz parte do projeto Pequenos Cantores, Grandes Construtores”, explica a diretora Amanda Mendonça.

Assim além de compreenderem a importância de se cuidar do ambiente para preservar a saúde, os alunos entenderam que muitas coisas podem ser transformadas e reaproveitadas.

A finalização do projeto de conscientização foi a ação “Unidos contra Dengue”, que ficou por conta da turma da Pré-Escola 2, com a professora Talita. Nesta ação, os alunos visitaram todas as salas de aula falando sobre os riscos e cuidados que se deve ter em relação ao Aedes aegypti.

Consuencia
“O projeto foi pensado para que as crianças entendam as consequências de hábitos errados. Assim, elas podem repensar seus comportamentos e incentivar os pais e fazerem o mesmo”, afirma a diretora Amanda Mendonça.

“Assim, a escola, através dos seus alunos, pôde orientar os pais sobre a importância de eliminarmos todo ambiente propício para procriação do mosquito da dengue”, destaca.

A coordenadora Lilian Duque concorda. “E de mãos dadas com o projeto Pequenos cantores grandes construtores, os alunos puderam ver o ‘lixo’ recolhido ser transformado em instrumentos musicais”, completa.

10557119 1586109221611579 8998408623414761859 o

12440294 1592585884297246 2190676278981019119 o

10317762 1588771374678697 1154734532748148933 o

12440788 1588770988012069 82439526079811387 o

12795090 1586109474944887 8254767577719231294 o

12841315 1588770821345419 2623291119882992463 o

12901280 1592961954259639 2045209285520323647 o

Veja mais fotos no Facebook

Imprimir

Feira cultural do Anglo foi realizada dia 30 de outubro

banner-feira-cultural-angloO Liceu Van Gogh - Anglo, instituição mantida pela Fundação Educacional de Ituverava, promoveu dia 30 de outubro, a Feira Cultural do Anglo, que reuniu alunos do 6° ao 9° ano. O tema deste ano foi “Somos todos iguais na diferença”.

Durante o evento, cada sala escolheu um país para apresentar a sua cultura. O 6° ano escolheu o Egito; o 7°, o Brasil; o 8° a Inglaterra, e o 9°, os Estados Unidos.
“Neste contexto os alunos exploram as diversidades culturais como vestuário, música, alimentação, regionalidade, costumes, etc.”, explica a direção do Liceu Van Gogh - Anglo.
No evento, foi lançado o segundo livro do aluno da instituição, Guilherme Cavallari Bueno. “Vale lembrar que a Feira Cultural do Anglo foi bastante prestigiada por pais dos alunos, o que foi fundamental para o seu sucesso do evento”, ressalta a direção.

A otorrinolaringologista Núbia Gesny Rocha Marinho foi uma das mães que esteve da Feira Cultural. “O tema valida e reafirma a proposta de que a formação dos alunos nos dias atuais vai muito além do ensinamento, visa também conscientizá-los sobre valores que estão agregados no conhecimento. Com efeito, a cultura insere o indivíduo num meio social, fazendo-o seguir um padrão determinado no espaço e no tempo”, afirma Núbia.

Diversidade cultural
“A diversidade cultural existente no mundo, infelizmente, ainda é a raiz de milhares de conflitos e guerras entre povos, em razão de algumas culturas se considerarem superiores as outras, agindo com total intolerância e pré-conceito. Desta maneira, é necessário o aprendizado no sentido da compreensão, aceitação e valorização da diversidade cultural, porque apesar das diferenças, somos seres naturalmente iguais, com direito de vida, liberdade e dignidade. Que a feira cultural seja uma oportunidade para que os alunos ‘viagem’ pelo mundo com olhos de igualdade e se utilizem da diversidade para seu crescimento pessoal”, completa mãe.